PUBLIQUEI UM LIVRO II
11.09.2019

Continuando com a série do escrevi e publiquei um livro, a primeira parte está aqui.
Vamos para a parte de encontrar uma editora. Bom, eu não sabia como funcionava um processo de publicação e o que eu fiz foi mandar e-mails para grandes editoras perguntando sobre como funcionava.
Algumas nem responderam, outras cobraram 15 mil reais e eu fiquei a ver navios.

Deveria enviar meu manuscrito? Deveria desistir? A solução que encontrei foi me inscrever em alguns concursos, quando não obtive resultados percebi que pagar para publicar era a melhor saída (não façam isso em casa, crianças).

Com a proposta dos 15 mil, vi que publicar não era barato e eu tinha exatamente 0 reais na conta. Organizamos uma rifa para arrecadar fundos e postava no facebook até que uma editora independente me notou e fez por um valor bem mais acessível, mas ainda assim caro.

SERVIÇOS

Na época, paguei aproximadamente 1.300 reais por 50 exemplares, esse valor foi parcelado no boleto e me dava direito a:

– revisão ortográfica: a editora pediu que eu enviasse o arquivo já revisado, depois falou que eu poderia enviar sem a revisão, que eles mesmo revisariam duas vezes.

Acontece que eles deram um prazo que não foi cumprido e depois me mandaram um revisão super básica corrigindo os erros apontados pelo word.
Juntei alguns amigos e revisamos tudo de novo, mandei um e-mail reclamando do serviço e recebi uma resposta super grosseira que me fez, por anos, não querer mais escrever.
Uma segunda revisão foi feita e eu acabei aceitando pois não queria mais conflitos.

– revisão literária: também conhecida como copydesk, esse é um processo de ajuste do livro, onde apontam as partes boas, o que pode melhorar, as ruins, etc.
Mais uma frustração porque foram apontadas coisas fúteis (tipo: colocar no rodapé uma nota de tradução pra brownie). Hoje eu leio o meu livro e consigo enxergar o quão confuso e mal escrito é, como um profissional deixou passar tantas incongruências?

– projeto gráfico: essa é a hora do visual do seu livro, primeiro o capista me mandou uma capa nada a ver com minha história, eu reclamei, teve um pequeno desentendimento e fizeram outra capa que não é meu xodó, mas pelo menos não é um macho sem camisa.
Eu não tenho muito o que reclamar, o interior do livro é bem bonito. Mas nem tudo são flores, eu paguei por uma remessa extra e vieram livros totalmente horrorosos com páginas brancas que soltavam rs.

 Entre outros serviços…

E AGORA?

Porque estou falando tudo isso? Porque eu acho que não compensa pagar para publicar. Um livro é seu trabalho e merece respeito, não estou generalizando as editoras. Eu amei a experiência, mas não é algo que eu faria de novo. Foi estressante, mas publiquei.

Publicar um livro vai muito além de escrever uma história, dai suponhamos que você pague, o que você vai fazer com 500 livros estocados no seu quarto? A não ser que você seja rico, eu tenho péssimas notícias.

Mas Luma, o que você sugere? Fica pro próximo post.
Tenho um livro a venda na amazon, não é o mesmo desse post. Aqui.

1 comentário

  • Avatar Luíza disse:

    Af que triste, eu tinha a impressão de editoras de novela e nem imaginava ser tão absurdo de caro 🙁

  • Deixe seu comentário

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    @lumanunesblog No images found!
    Try some other hashtag or username