LETTERING: O QUE EM TEU PEITO QUER ASAS?
11.05.2021

“Lettering é a arte de desenhar as palavras”.
Não lembro onde li isso, só sei que fiquei encantada.
Uns anos atrás eu aprendi desenhar as palavras e até hoje, acho uma ótima ferramenta para desestressar. Não sou artista de hand lettering, longe disso! Profissionais de lettering estudam muito para que a técnica seja perfeita. É preciso ter muita noção espacial, manjar das cores e texturas, enfim, uma trabalheira danada que deve ser valorizada!


Encontrei esse lettering de uns três anos atrás e resolvi dar duas novas versões: uma escrita e uma mais ou menos digital. Mais ou menos porque eu não criei os elementos, fiz uma colagem de coisas já existentes, vamos dizer assim.

(mais…)
OLÁ (de novo)
10.05.2021

Olá! Então, parece que foi ontem o dia que escrevi a primeira versão desse texto. As coisas eram tão fáceis, eu fazia qualquer coisa para ter tempo de postar aqui. Hoje, graças a esse espaço tenho muitas oportunidades de mostrar o meu trabalho.
Mas ai o tempo se tornou escasso, a criatividade então… Me deixa na mão várias vezes! Mas agora quero voltar. Quero vencer a barreira do cansaço, quero mostrar mais, MUITO mais!
Se fosse uns anos atrás, eu viria aqui, conversaria com você, me apresentaria, contaria fatos aleatórios sobre mim… Mas hoje, enquanto estou tentando fazer com que você me conheça, estou fazendo o meu melhor para me descobrir também.

Um dia, conversando com um amigo ele solta: “o que eu mais gosto em você, é que você não se limita.”
Eu acho muito engraçada a visão do outro sobre a gente… Já fui chamada de eloquente, determinada, decidida, confiante, acima da média; mas nada disso saiu da minha boca. Então, são mentiras? Não. Eu acho muita responsabilidade ser reconhecida por esses adjetivos.
Somos constantemente julgados e o grau de importância que damos para o achismo alheio parte do grau de julgamento que colocamos em cima do outro… Isso me assusta.

(mais…)
RIO DE JANEIRO
27.04.2021

Rio de Janeiro, abril de 2019

1 DIA

We had everything we need that day:
you, me, a nice view and blue flowers…
I prayed tonight, I just wanted to stay locked in time.

Em 2019, eu viajei para o Rio de Janeiro. Achei que essa viagem me salvaria, mas era o início de um naufrágio.
Quando cheguei, o dia estava lindo, mas o hotel não estava pronto. Para minha sorte, uma feira acontecia ali na rua. Nunca vi nada parecido: peixes, frutas, o melhor pastel de queijo que já comi na vida e uma banquinha que vendia flores azuis.

Não quis perder tempo, fui para a praia e foi exatamente como a música do Baco Exu do Blues: o sol ilumina o meu dia, mas queima a minha pele… No final do dia estava exausta e satisfeita, beijada pela areia, pelo sol e pelo sal, estava relaxada. A decisão de viajar foi a melhor ideia que poderia ter tido, marcava o início de uma nova era: novo emprego, uma oportunidade de recomeçar, de tentar do zero, eu me sentia capaz de tudo, estava em lua de mel.

Lembro de falar sobre como amava a vista da janela do quarto que dava para um prédio cinza, cheio de janelas. Não era uma visão de tirar o fôlego, mas tinha certa poesia…
Me lembrou a história do prédio que desabou em 2002 no Rio de Janeiro, dias depois encontram nos escombros, os corpos de um casal abraçados nus em uma cama. Eles viviam um amor secreto… Essa história inspirou a música Conversa de Botas Batidas.

Veja você, quando é que tudo foi desabar
A gente corre pra se esconder
E se amar, se amar até o fim
Sem saber que o fim já vai chegar…

(mais…)

Em 2019, eu viajei para o Rio de Janeiro. Achei que essa viagem me salvaria, mas era o início de um naufrágio.
Quando cheguei, o dia estava lindo, mas o hotel não estava pronto. Para minha sorte, uma feira acontecia ali na rua. Nunca vi nada parecido: peixes, frutas, o melhor pastel de queijo que já comi na vida e uma banquinha que vendia flores azuis.

Não quis perder tempo, fui para a praia e foi exatamente como a música do Baco Exu do Blues: o sol ilumina o meu dia, mas queima a minha pele… No final do dia estava exausta e satisfeita, beijada pela areia, pelo sol e pelo sal, estava relaxada. A decisão de viajar foi a melhor ideia que poderia ter tido, marcava o início de uma nova era: novo emprego, uma oportunidade de recomeçar, de tentar do zero, eu me sentia capaz de tudo, estava em lua de mel.

Lembro de falar sobre como amava a vista da janela do quarto que dava para um prédio cinza, cheio de janelas. Não era uma visão de tirar o fôlego, mas tinha certa poesia…
Me lembrou a história do prédio que desabou em 2002 no Rio de Janeiro, dias depois encontram nos escombros, os corpos de um casal abraçados nus em uma cama. Eles viviam um amor secreto… Essa história inspirou a música Conversa de Botas Batidas.

Veja você, quando é que tudo foi desabar
A gente corre pra se esconder
E se amar, se amar até o fim
Sem saber que o fim já vai chegar…

(mais…)

Em 2019, eu viajei para o Rio de Janeiro. Achei que essa viagem me salvaria, mas era o início de um naufrágio.
Quando cheguei, o dia estava lindo, mas o hotel não estava pronto. Para minha sorte, uma feira acontecia ali na rua. Nunca vi nada parecido: peixes, frutas, o melhor pastel de queijo que já comi na vida e uma banquinha que vendia flores azuis.

Não quis perder tempo, fui para a praia e foi exatamente como a música do Baco Exu do Blues: o sol ilumina o meu dia, mas queima a minha pele… No final do dia estava exausta e satisfeita, beijada pela areia, pelo sol e pelo sal, estava relaxada. A decisão de viajar foi a melhor ideia que poderia ter tido, marcava o início de uma nova era: novo emprego, uma oportunidade de recomeçar, de tentar do zero, eu me sentia capaz de tudo, estava em lua de mel.

Lembro de falar sobre como amava a vista da janela do quarto que dava para um prédio cinza, cheio de janelas. Não era uma visão de tirar o fôlego, mas tinha certa poesia…
Me lembrou a história do prédio que desabou em 2002 no Rio de Janeiro, dias depois encontram nos escombros, os corpos de um casal abraçados nus em uma cama. Eles viviam um amor secreto… Essa história inspirou a música Conversa de Botas Batidas.

Veja você, quando é que tudo foi desabar
A gente corre pra se esconder
E se amar, se amar até o fim
Sem saber que o fim já vai chegar…

(mais…)

Em 2019, eu viajei para o Rio de Janeiro. Achei que essa viagem me salvaria, mas era o início de um naufrágio.
Quando cheguei, o dia estava lindo, mas o hotel não estava pronto. Para minha sorte, uma feira acontecia ali na rua. Nunca vi nada parecido: peixes, frutas, o melhor pastel de queijo que já comi na vida e uma banquinha que vendia flores azuis.

Não quis perder tempo, fui para a praia e foi exatamente como a música do Baco Exu do Blues: o sol ilumina o meu dia, mas queima a minha pele… No final do dia estava exausta e satisfeita, beijada pela areia, pelo sol e pelo sal, estava relaxada. A decisão de viajar foi a melhor ideia que poderia ter tido, marcava o início de uma nova era: novo emprego, uma oportunidade de recomeçar, de tentar do zero, eu me sentia capaz de tudo, estava em lua de mel.

Lembro de falar sobre como amava a vista da janela do quarto que dava para um prédio cinza, cheio de janelas. Não era uma visão de tirar o fôlego, mas tinha certa poesia…
Me lembrou a história do prédio que desabou em 2002 no Rio de Janeiro, dias depois encontram nos escombros, os corpos de um casal abraçados nus em uma cama. Eles viviam um amor secreto… Essa história inspirou a música Conversa de Botas Batidas.

Veja você, quando é que tudo foi desabar
A gente corre pra se esconder
E se amar, se amar até o fim
Sem saber que o fim já vai chegar…

(mais…)

Em 2019, eu viajei para o Rio de Janeiro. Achei que essa viagem me salvaria, mas era o início de um naufrágio.
Quando cheguei, o dia estava lindo, mas o hotel não estava pronto. Para minha sorte, uma feira acontecia ali na rua. Nunca vi nada parecido: peixes, frutas, o melhor pastel de queijo que já comi na vida e uma banquinha que vendia flores azuis.

Não quis perder tempo, fui para a praia e foi exatamente como a música do Baco Exu do Blues: o sol ilumina o meu dia, mas queima a minha pele… No final do dia estava exausta e satisfeita, beijada pela areia, pelo sol e pelo sal, estava relaxada. A decisão de viajar foi a melhor ideia que poderia ter tido, marcava o início de uma nova era: novo emprego, uma oportunidade de recomeçar, de tentar do zero, eu me sentia capaz de tudo, estava em lua de mel.

Lembro de falar sobre como amava a vista da janela do quarto que dava para um prédio cinza, cheio de janelas. Não era uma visão de tirar o fôlego, mas tinha certa poesia…
Me lembrou a história do prédio que desabou em 2002 no Rio de Janeiro, dias depois encontram nos escombros, os corpos de um casal abraçados nus em uma cama. Eles viviam um amor secreto… Essa história inspirou a música Conversa de Botas Batidas.

Veja você, quando é que tudo foi desabar
A gente corre pra se esconder
E se amar, se amar até o fim
Sem saber que o fim já vai chegar…

(mais…)

Em 2019, eu viajei para o Rio de Janeiro. Achei que essa viagem me salvaria, mas era o início de um naufrágio.
Quando cheguei, o dia estava lindo, mas o hotel não estava pronto. Para minha sorte, uma feira acontecia ali na rua. Nunca vi nada parecido: peixes, frutas, o melhor pastel de queijo que já comi na vida e uma banquinha que vendia flores azuis.

Não quis perder tempo, fui para a praia e foi exatamente como a música do Baco Exu do Blues: o sol ilumina o meu dia, mas queima a minha pele… No final do dia estava exausta e satisfeita, beijada pela areia, pelo sol e pelo sal, estava relaxada. A decisão de viajar foi a melhor ideia que poderia ter tido, marcava o início de uma nova era: novo emprego, uma oportunidade de recomeçar, de tentar do zero, eu me sentia capaz de tudo, estava em lua de mel.

Lembro de falar sobre como amava a vista da janela do quarto que dava para um prédio cinza, cheio de janelas. Não era uma visão de tirar o fôlego, mas tinha certa poesia…
Me lembrou a história do prédio que desabou em 2002 no Rio de Janeiro, dias depois encontram nos escombros, os corpos de um casal abraçados nus em uma cama. Eles viviam um amor secreto… Essa história inspirou a música Conversa de Botas Batidas.

Veja você, quando é que tudo foi desabar
A gente corre pra se esconder
E se amar, se amar até o fim
Sem saber que o fim já vai chegar…

(mais…)
Sem comentários
MAIS BRILHANTE QUE O SOL #1
07.04.2021
MAIS BRILHANTE QUE O SOL – CAPÍTULO 1

O corpo humano tem pouco mais que seiscentos e cinquenta músculos.
Como eu sei disso? Além das aulas de ciências, estou sentindo dor em cada um deles.
Pego um papel no topo da pilha que está na minha frente me esforçando para não ceder a tentação de deixar a minha cabeça, que agora deve ter uns trinta quilos, repousar na mesa.
Risco um X fraco na primeira questão da prova do João Pedro de Carvalho e então pela janela, vejo o sol ardendo lá fora e as folhas das árvores paradas, deve estar fazendo trinta e seis graus na sombra, uma temperatura totalmente contrastante com meu moletom, qualquer um que me veja na rua vai pensar que estou louca.
— Você não deveria estar em casa? — Minha melhor amiga pergunta se esgueirando para dentro da minúscula sala dos professores com capacidade para sete pessoas, nós somos doze.

       Quando eu era criança, achava que na sala dos professores rolava um universo paralelo onde eles se divertiam a beça. Bom, sem diversão por aqui, só estou sozinha nesse momento porque meus colegas estão com medo de mim.

DEIXE UM COMENTÁRIO ME CONTANDO O QUE VOCÊ ACHOU 🙂
(mais…)
Sem comentários
FELIZ PÁSCOA
05.04.2021

Feliz Páscoa! Há cada ano venho me interessando mais por essa data, para além do feriado cristão e das tradições açucaradas, a páscoa costumava marcar o final do inverno e o início da primavera e celebrar Ostara, a deusa da fertilidade.

Fiz um post no instagram apresentando o meu novo vício: Sylvanian Families e achei que seria perfeito trazê-los aqui para celebrarmos a páscoa já que essa é a família dos coelhos de chocolate.

TERI CHOCOLATE

Teri é a mãe do Coco e da Freya. A esposa do Frasier é conhecida por suas refeições maravilhosas e por sempre manter a casa em ordem. Na minha história de Páscoa, ela aprendeu fazer os melhor brigadeiros da vila com o Frasier, é o seu doce favorito!

(mais…)
Sem comentários
CANVA: LETRA DERRETIDA
02.04.2021

O canva é um site bastante utilizado por produtores de conteúdo. Você pode utilizar um dos diversos templates prontos ofertados pela plataforma, mas o ideal é que você crie seus próprios designs.

Então, hoje vou te ensinar fazer um lettering com essa letra 3D cheia de cores e texturas.
O Canva possui duas duas versões: a grátis e a paga, para esse design utilizaremos então a versão paga, também conhecida como pro.

Abra a aba elementos no painel de controle e busque por Letter (a letra desejada) With Dripping Paint.
Por exemplo: letter b with dripping paint.

O alfabeto não fica em ordem, às vezes você pode não encontrar uma letra ou outra, mas não se preocupe, você ainda pode pesquisar por Colorful Cream 3D Letter With Melting Paint Drops.
Esse design possui letras maiúsculas e minúsculas e não possui acentos, pontuação, números e símbolos.

(mais…)
Sem comentários
EU, LUMA NUNES, 28 ANOS, SOLTEIRA E PERDIDAÇA
02.03.2021

Um relacionamento morre e uma pessoa solteira nasce.
Bom, a última vez que eu fui solteira foi em 2010, o tinder só surgiu dois anos depois disso (avalie meu desespero agora).

Na escola, era fácil fazer as coisas acontecerem e ainda tinha toda a excitação do proibido. Bilhetes passados por debaixo das carteiras, beijos atrás da quadra, troca de olhares durante o intervalo… Uau!
Onze anos se passaram e aqui estamos de novo. Solteira, inexperiente e com um mundo selvagem pronto para ser desbravado… Exceto que às vezes o mundo não está pronto pra você (uma cortesia coronavirus). Pois é…

No começo, damos passos tímidos e tentamos entender o mundo ao nosso redor: tinder, relacionamento aberto, pedidos inusitados, como assim esse gato mora na minha rua e eu nunca tinha visto???
Mas então você vai pegando confiança, fica solta e tudo se encaminha para o sucesso.
Mas ai é que tá, paquera não é unilateral, precisa de pelo menos mais uma pessoa disposta.

HOUSTON, WE HAVE A PROBLEM!

(mais…)
Sem comentários
PILLOW TALK #1
01.03.2021

Pillow Talk #1
Sempre admirei pessoas na Internet.
Pessoas que se expõem, que falam sobre seus sentimentos, que nos inspiram através de suas histórias.
Mas sempre tive medo de falar abertamente os meus pensamentos, seja na internet ou na vida real… Até chegar no twitter.

Eu amo o Twitter! É engraçado, as pessoas tem bastante opinião e zero vergonha. Porém, em 140 caracteres cabe muita impulsividade, então, dei um passo pra trás, desativei por uns dias e tentei entender o que estava acontecendo.

Quando os blogs surgiram na pré-história da internet, eles funcionavam, em grande parte, como diário. Páginas e mais páginas eletrônicas com os mais diversos desabafos, reflexões, causos e MUITA troca… Porém, hoje tudo parece uma grande vitrine recheada com os últimos e melhores modelos de ansiedade™.

No meu caso, o blog funcionou como válvula de escape para falar sobre assuntos que eu curto, mas sempre tentando não expor tanto os meus sentimentos… Então agora resolvi mudar.

Honestamente, não sei se quero alguém lendo. Ei você! Isso mesmo, VOCÊ. Pare imediatamente essa leitura!!! rs
Então, decidi experimentar falar sobre meus sentimentos de forma controlada, ao invés de sair vomitando tudo no calor do momento, portanto acho que isso vai trazer boas reflexões e ótimas histórias.
Às vezes me sinto que sou uma panela de pressão… Então talvez eu me encontre nesse caminho.

(mais…)
1 comentário
LEITURAS JANEIRO
12.01.2021

Leituras Janeiro minha meta é ler um livro em janeiro. Já cumpri a meta na verdade, então aqui estão três outras possíveis leituras, então preciso que você torça por mim rs:

Pessoas Normais foi a primeira leitura do ano. Eu amei o livro e amei o seriado, achei um pouco triste também. Já estou escrevendo a resenha espero conseguir transmitir todos os meus sentimentos nesse texto.
Agora estou lendo Cidades Afundam Em Dias Normais em conjunto com a @miallebooks. Esse livro é nacional e conta a história de uma cidade fictícia no meio do cerrado que foi afundada por um lago e agora ressurgiu trazendo à tona muitas histórias. Eu achei muito legal porque costumava inventar uma história parecida para as crianças.

(mais…)
Sem comentários
PLANO DE AÇÃO: METAS
05.01.2021

PLANO DE AÇÃO – Feliz ano novo! Começo de ano é uma ótima oportunidade para traçar novos planos e revisitar objetivos. Muita gente é avesso à ideia de registrar seus desejos, mas essa é uma prática importante para ter um propósito de vida e esperanças de um futuro melhor.
Então, separei três metas que pretendo alcançar no mês de janeiro.

METAS JANEIRO

  1. Aprender Parabéns Pra Você no ukulele;
  2. Ler Cidades Afundam Em Dias Normais;
  3. Guardar R$20,00.

Mas mais importante que escrever metas é trabalhar para que elas se realizem, por isso é importante ter um plano de ação.

(mais…)
1 comentário
BELO DESASTRE
06.12.2020

Eu estava parada nas leituras e resolvi reler livros que eu lembro de ter gostado, mas não lembrava muito sobre a história e foi assim que cheguei em Belo Desastre.
Em 2012, os New Adults eram a sensação do momento. Jovens adultos problemáticos e cheios de tesão, como não amar?

Em Belo Desastre conheci a Abby “Beija-Flor” Abertnathy, uma garota certinha e meio misteriosa que acaba se envolvendo com seu completo oposto, o mulherengo e problemático lutador Travis “Cachorro Louco” Maddox.
Eu não sou Do tipo que problematiza e/ou milita em cima de leituras, mas pra tudo tem uma primeira vez.
Não sei como eu e outras garotas ficamos obcecadas pelo Maddox.

– Pra mim chega, Travis.
– Não diz isso.
– Acabou. Vai pra casa.
– Você é a minha casa.
(mais…)
Sem comentários
O MÉTODO BULLET JOURNAL
05.12.2020

Já falei e mostrei tanto o meu Bullet Journal aqui que às vezes essa conversa parece sem próposito, mas eu juro que não é bem assim. Nesses quase cinco anos de jornada, nunca tinha parado para perguntar de onde veio ou quem inventou, afinal, eu faço esse trem certo? Essas dúvidas foram sanadas no livro do criador do sistema, Ryder Carroll: O Método Bullet Journal.

O INÍCIO

Em 1980, Carroll foi diagnósticado com Distúrbio de Déficit de Atenção, sua maior queixa era a falta de foco. Cansado de levar bronca e frustrado por quase nunca conseguir finalizar suas tarefa, ele resolveu recorrer ao seu velho companheiro de guerra: um caderno.
E foi assim que ele conseguiu reunir tudo em um único lugar: agenda, lista de afazeres, anotações e até o seu caderno de desenho; aos poucos ele foi conseguindo organizar sua mente e ficar mais produtivo.

(mais…)
Sem comentários
12345... 40»
@lumanunesblog No images found!
Try some other hashtag or username