#1 ESCREVA SOBRE O SEU PRIMEIRO AMOR
27.04.2020

Primeiro Amor

Estudava na mesma escola havia anos, nada acontecia de diferente ali, então um dia aconteceu.
Eu não lembro bem quantos anos eu tinha, mas parecia que eu tinha nascido para aquilo, para gostar de alguém.

Seu nome era Gilberto, um nome pouco comum para uma criança. Deveria ter uma lei dizendo que só pessoas velhas deveriam ter nomes tão adultos, assim como João Vitors só podem viver até os dez anos.

Foi o sorriso. O sorriso de Gilberto. Me apaixonei pelos dentes branquíssimos perfeitamente enfileirados. Até os olhos dele sorriam!
Juro que uma vez vi uma estrelinha igual desenho animado quando ele gargalhou.

Infelizmente, esse não era um caso de quem ama o feio, bonito lhe parece. Todas as garotas da escola nutriam um crush pelo meu primeiro amor, então eu não tinha a menor chance.

Os meses se passaram e eu continuava suspirando pelos cantos.
Fui na feira com mainha e vi um cordão com pingente de guitarra, imediatamente pensei nele.
Se ele toca algum instrumento? Nunca soube.
O tal cordão era cinco reais. Uma fortuna! Mas ele valia o esforço, não é?

Reuni toda a coragem existente no mundo para lhe entregar. Ensaiei um discurso na frente do espelho, finalmente iria dizer o que guardava no coração há meses!

Logo que cheguei na escola o vi. Era agora ou nunca! Escolhi o nunca, ou melhor, a hora do recreio que não chegava mais. Até que chegou.
O pingente queimava em minha mão. Cheguei por trás e toquei seu ombro com delicadeza. E então, tudo aquilo que eu tinha ensaiado se perdeu e foi substituído por um arremesso de colar e por uma frase dita em uma única respiração.

– TomaÉPraVocê.
Ele segurou o cordão meio sem jeito e sorriu. Sorriu!
– Obrigado, estou me mudando de cidade.

“E assim, do nada, meu mundo desabou. Pensei em todos os momentos imaginários que vivemos e me culpei por não ter tentando trazer pra vida real quando ainda tínhamos tempo.”

E assim, do nada, meu mundo desabou. Pensei em todos os momentos imaginários que vivemos e me culpei por não ter tentando trazer pra vida real quando ainda tínhamos tempo. Sorri constrangida.
– Talvez você possa se lembrar de mim? – murmurei.
Ele me olhou confuso, do jeito que só os garotos sabem fazer. Gilberto não fazia ideia da minha existência. Logo a confusão deu lugar para um novo sorriso e ele respondeu:
– Claro!

Dei as costas e voltei para a sala, foi a última vez que o vi. Sofri três dias inteirinhos até que ele chegou.
Seu nome era Maurício e não é que ele tinha covinhas lindas?

@ogirassolescrito

E então, você lembra do seu primeiro amor?

2 comentários

  • Avatar Sara Lacerda disse:

    Que coisa mais linda, é sempre um prazer ler o que você escreve minha lindeza ❤️

  • Deixe seu comentário

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    @lumanunesblog