VOCÊ SE ACEITA COMO É?
03.03.2019

Oi gente! Um dos trabalhos desse semestre era fazer uma releitura através de fotografia da obra de um artista famoso sorteado previamente. O artista do meu grupo foi Monet e nós escolhemos o quadro Woman With A Parasol (essa ai de cima).
Precisávamos ligar a foto a um texto jornalistico cujo tema era: Aceitação do Corpo Feminino Frente os Padrões Impostos Pela Sociedade.

E eu que encabecei tudo levei um tapão na cara, pois fui a modelo da famigerada foto. Desde pequenas somos expostas a padrões irreais, por exemplo, a Barbie. Para nós, o bonito é o que nos é mostrado: corpo magro, sem manchas, sem estrias, sem celulites, pele branca, cabelos lisos… Sem falar em coisas mais extremas tipo genitais rosados e sem pelos.

Agora com a internet podemos “escolher” quem queremos ver, quem podemos ter como referência. Eu, por exemplo, sigo muita mina cacheada, minas cujo corpo não é considerado o padrão de perfeição pela a sociedade em geral.

A Foto

E foi bem ai que veio o tapa na cara. Eu vejo minas gordas na praia de biquíni e falo: caramba, que maravilhosa! E na hora de tirar minha foto eu me vi pensando que empondero as minas não padrão porque não é comigo. Fiquei triste olhando pra minha barriga grande, pernas flácidas e celulite. Não me senti bonita e fiquei envergonhada, achando que ia ser o grau maior de humilhação me apresentar pra sala e aconteceu o oposto: foi emponderador demais! Me senti super corajosa.

Kim Kardashian para Calvin Klein. O mesmo conjunto usado por mim na foto, já o corpo…

Enfim, vamos falar sobre a foto em questão. Eu tirei no final da tarde de um domingo e como estava nublado, não tinha muita gente na rua e o que me permitiu tirar a roupa em uma praça pública aqui de Palmas (a segunda maior do mundo!).
O responsável pelo clique foi o Douglas (<3) e a ideia era tirar com um biquíni branco, mas como eu não tinha, usei um conjuntinho da Calvin Klein que só emponderou mais o trabalho.
O conjunto em questão fez uma campanha estrelada pela Kim Kardashian, um padrão de corpo completamente oposto ao meu…

Então é isso gente, eu gostei de feito o trabalho e resolvi trazer essa reflexão pra cá. O que vocês acham? Vamos falar e trocar experiencias aqui nos comentários, ok?
Beijos e até a próxima!

14 comentários

  • Avatar FERNANDA FERREIRA LEMOS DA SILVA disse:

    Eu amo essa sua foto e sei o que você sentiu. Eu sempre fico dando apoio e dizendo o quanto eu acho as minas fora do padrão lindas etc e eu acho mesmo. Menos quando sou eu. Pq até mesmo um padrão para a mina fora do padrão eu tive que criar na minha cabeça e eu não estou dentro desse padrão que eu mesma inventei.
    Eu não me sinto corajosa como você e te admiro muito por você ter feito isso.

    • Luma Nunes Luma Nunes disse:

      A nossa aceitação é diária. Tentar caber em um padrão que não te cabe é muito cruel, precisamos aprender a olhar nossos pontos fracos como pontos a serem amados pois fazem parte do que somos e contam uma história.

  • Avatar Thaís disse:

    Eu sou alta e magra e mesmo assim tenho vergonha do meu corpo. Parece hipocrisia, né!? Mas já deixei de fazer muitas coisas por vergonha de mim e também do meu corpo/altura. Quando vi essa sua foto refleti bastante sobre como somos influenciados pelo meio em que vivemos. Fiquei me perguntando: existe mesmo um padrão certo/perfeito?
    Obrigada por esse post incrível e cheio de significado. #FadaEmpoderadora

  • Avatar Vilma Nascimento disse:

    Me vejo em cada letra desse texto. Obrigada por essa reflexão, Luma… Vc é corajosa e sua coragem inspira pra c****** ❤️

  • Avatar Babi Paixão disse:

    É Luminha, orgulho define! Não é fácil, somos cobradas real oficial, mas nós mesmas somos as que mais nos cobramos, tendemos a tentar nos encaixar e muita gente usa a desculpa de “saúde” quem disse que ser “gordinha” não é saudável? Amei essa foto e o post também! Poderia dizer que está linda, but você É LINDA. 😘

  • Avatar Nathalia disse:

    Eu amo essa foto. Eu amo essa coragem. Como é triste em pleno século XXI a gente ter q admirar a coragem de uma mana quando na verdade a gente só tinha que admirar a beleza. Vamos se amar minhas amadas irmãs, sem julgamentos, sem padrões e sem rivalidade. Tudo seria tão mais fácil não é mesmo?!!

  • Avatar Talita disse:

    Quando se trata de auto estima a luta é constante. Antigamente eu era imatura e muito influenciada por esse padrão de beleza imposto, já cheguei a falar que gente bonita era gente magra, hoje eu sinto vergonha disso, e posso dizer que aprendi. A vida passa, a gente aprende e se liberta dos padrões. Hoje eu consigo ver a beleza das pessoas e luto constantemente contra esse discurso cheio de cagação de regra e padrões. Agora eu preciso lutar tb pela minha auto estima. É muito bonito ver a mulher que vc se tornou, eu tenho muito orgulho de você.

  • Deixe seu comentário

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    @lumanunesblog