Matando Borboletas
26.01.2016

matando borboletas

Olaaaar! Em outubro, viajei pra Belo Horizonte e levei Matando Borboletas junto pra passar o tempo… Fiquei por lá três dias e li bastante… Só que voltei de viagem, o trabalho foi me consumindo e Matando Borboletas ficou pra escanteio. Dai dezembro chegou e eu lembrei que precisava terminar e terminei! Esse bonito foi indicação da Bea do Na Sua Estante.

No começo do livro conhecemos duas grandes amigas, que em meio a brincadeiras planejam ter filhos, uma quer ter um menino, a outra uma menina – desse modo quando eles crescerem podem se casar e ter filhos fortalecendo ainda mais o laço de amizade entre elas.

matando borboletas

Anos depois, esse desejo de infância se realiza e nascem Candence e Sphinx. A Sphinx é meiga, compassiva demais  e comum. O Cadence é brilhante, carismático, lindo de morrer e doente… Quando eles eram crianças, ele deixou uma cicatriz nela com uma faca. Anos depois, quando se reencontram, ele vê que Sphinx cobre a cicatriz com maquiagem e solta essa frase que me arrepiou toda:

– Você não sabe que foi tocado por um anjo?

Conforme a doença progride, Cadence vai ficando cada vez mais difícil. Ninguém sabe ainda, mas ele é incapaz de ter sentimentos. A Sphinx que continuar sendo leal a ele, mas teme por sua vida. O relacionamento entre os dois vai passar por muitas reviravoltas, até chegar ao aterrorizante clímax que pode envolver o sacrifício supremo.

matando borboletas

Ok. Comecei o livro super animada, mas na reta final fui ficando bastante irritada. Nesse ponto, eles tem dezesseis anos e Sphinx vai com a mãe visitar o garoto. Coisas estranhas acontecem, o Cadence trata a Sphinx como se ela fosse lixo e mesmo assim ela não se afasta. O que me incomodou, foi esse senso de intimidade entre eles, que não se viam e em se falavam desde que eram pequenos. Os pais da Sphinx foram coniventes com coisas absurdas e isso me magoou.

Dito isso, achei o Cadence um personagem muito bem construído. Realmente senti que ele não se importava com nada, a não ser sentir prazer em desprezar os outros.  A capa é muito bonita e chamou bastante minha atenção… E por dentro o livro tem uma diagramação legal, mas me incomodou por ter umas falhas nas letras do texto. Não sei se premiada com o exemplar ou se foi proposital, mas não atrapalhou a leitura.

Fica ai a indicação, mas se você procura uma pitadinha de romance, desista.

matando borbolrtas

Ficha do Livro

Título: Matando Borboletas

Autor: M. Anjelais

Ano da edição: 2015

Editora: Verus

Número de páginas: 224 páginas

♥ Minha nota para o livro: 4 / 5 estrelas.

@lumanunesblog