MAIS BRILHANTE QUE O SOL 2
17.06.2021

Mais Brilhante Que O Sol 2 – Acordo com o pijama grudado no corpo e a boca mais seca que o Saara, pelo visto os remédios que engoli antes de dormir fizeram efeito. Ao meu lado, Miguel dorme a sono solto e por cima do seu ombro enxergo o relógio mostrando que são quase onze da noite.

       Levanto rápido e minha cabeça pede para eu ir devagar. Minhas roupas estão emboladas na porta do banheiro, uma pequena contribuição para o caos que está o apartamento. Encontro meu celular no bolso da calça jeans e assim que aperto um botão qualquer quase sou cegada pela luz e minha cabeça volta a reclamar.

Vi: Como você está? Mandei as notas das provas no seu e-mail.

       Ignoro a necessidade de tomar banho e me arrasto até a sala onde joguei minha mochila mais cedo, olho várias vezes como se fosse possível deixar passar despercebido um notebook de vinte polegadas dentro dela. Que ótimo! Esqueci na escola.

Ando de um lado para o outro roendo as unhas e então vejo o notebook do Miguel largado na mesinha de centro. Sem pensar duas vezes, abro o aparelho e espero ansiosa para que não tenha senha, mas como nada está ao meu favor, tem. Tento várias combinações: data de aniversários, o nome do cachorro. Nada. Minha última tentativa: Pgigante22 – meu namorado é idiota. Esse é o nome dele em um desses jogos online, ri muito no dia que descobri e mal acredito que a senha ridícula me concede acesso. Há várias abas abertas, ignoro todas e começo trabalhar.

Termino dois minutos antes da meia noite e sorrio de orelha a orelha pelo grande feito. Ligo para Vitória, tenho certeza de que ela ainda não foi pra cama e isso se confirma quando ela atende no segundo toque.

LEIA O PRIMEIRO CAPÍTULO AQUI.

(mais…)
BLOG & ESCRITA
15.06.2021

Blog & Escrita – Eu já falei algumas vezes sobre como é ter um blog: já contei a história, já expliquei os termos técnicos, já me apresentei, vocês já estão carecas de saber… Mas acho que vocês não sabem o bem que esse diário eletrônico me causa, da relação blog & escrita.
Eu pude exercitar a minha escrita das mais diversas formas aqui, seja falando sobre livros, seja explicando uma maquiagem ou mostrando um trabalho da faculdade.

Escrever sempre foi natural para mim. Eu não entendia a admiração das pessoas quando eu contava que publiquei um livro. Para mim escrever é uma coisa simples e não uma habilidade super especial.
Sempre quis escrever algo que tocasse as pessoas, que as inspirasse… Honestamente, acho que ainda não cheguei lá e parte disso se dá porque de nada serve um bom texto se você não coloca sentimentos.

“Great writing. No story.”

(mais…)
MAIS BRILHANTE QUE O SOL #1
07.04.2021
MAIS BRILHANTE QUE O SOL – CAPÍTULO 1

O corpo humano tem pouco mais que seiscentos e cinquenta músculos.
Como eu sei disso? Além das aulas de ciências, estou sentindo dor em cada um deles.
Pego um papel no topo da pilha que está na minha frente me esforçando para não ceder a tentação de deixar a minha cabeça, que agora deve ter uns trinta quilos, repousar na mesa.
Risco um X fraco na primeira questão da prova do João Pedro de Carvalho e então pela janela, vejo o sol ardendo lá fora e as folhas das árvores paradas, deve estar fazendo trinta e seis graus na sombra, uma temperatura totalmente contrastante com meu moletom, qualquer um que me veja na rua vai pensar que estou louca.
— Você não deveria estar em casa? — Minha melhor amiga pergunta se esgueirando para dentro da minúscula sala dos professores com capacidade para sete pessoas, nós somos doze.

       Quando eu era criança, achava que na sala dos professores rolava um universo paralelo onde eles se divertiam a beça. Bom, sem diversão por aqui, só estou sozinha nesse momento porque meus colegas estão com medo de mim.

DEIXE UM COMENTÁRIO ME CONTANDO O QUE VOCÊ ACHOU 🙂
(mais…)
EU, LUMA NUNES, 28 ANOS, SOLTEIRA E PERDIDAÇA
02.03.2021

Um relacionamento morre e uma pessoa solteira nasce.
Bom, a última vez que eu fui solteira foi em 2010, o tinder só surgiu dois anos depois disso (avalie meu desespero agora).

Na escola, era fácil fazer as coisas acontecerem e ainda tinha toda a excitação do proibido. Bilhetes passados por debaixo das carteiras, beijos atrás da quadra, troca de olhares durante o intervalo… Uau!
Onze anos se passaram e aqui estamos de novo. Solteira, inexperiente e com um mundo selvagem pronto para ser desbravado… Exceto que às vezes o mundo não está pronto pra você (uma cortesia coronavirus). Pois é…

No começo, damos passos tímidos e tentamos entender o mundo ao nosso redor: tinder, relacionamento aberto, pedidos inusitados, como assim esse gato mora na minha rua e eu nunca tinha visto???
Mas então você vai pegando confiança, fica solta e tudo se encaminha para o sucesso.
Mas ai é que tá, paquera não é unilateral, precisa de pelo menos mais uma pessoa disposta.

HOUSTON, WE HAVE A PROBLEM!

(mais…)
POR QUE CONTAMOS HISTÓRIAS?
01.10.2020

Eu amo contar histórias, minha família é cheia delas! Falo alto, dramatizo e morro de rir mesmo que já tenha contado a mesma coisa quinhetas vezes. Mas nunca tinha me perguntado: por que contamos histórias e por que isso é tão importante?
Recentemente, fiz um curso de roteiro para iniciantes cuja primeira aula foi esse questionamento. Por isso, achei válido vir compartilhar um pouco com você.

Então vamos começar dizendo que nunca contamos uma história à toa, sempre tentamos incutir um significado a ela mesmo que nas entrelinhas.
Pedro Riguetti meu professor do curso, levantou um ponto que me deixou bastante pensativa, ele disse que até nas histórias mais banais reproduzimos séculos de modus operandi.
Mesmo que a história seja à primeira vista inofensiva, podemos estar passado para frente ideias de heteronormatividade e branquitude, por exemplo.

Há cerca de 70 mil anos, os organismos pertencentes à espécie Homo Sapiens começaram a formar estruturas ainda mais elaboradas chamadas culturas. O desenvolvimento subsequente dessas culturas humanas é denominado história.

Sapiens – Uma Breve História da Humanidade
(mais…)
BEM-VINDO DE VOLTA
18.09.2020

Bem-Vindo! O blog fez seis anos e eu quis mudar um pouco a carinha dele, eu gosto desse formato, então só queria dar uma repaginada mesmo. Escolhi uma paleta de cores nova e mudei o cabeçalho. Coloquei esse ramo de café porque é uma bebida que traz lembranças muito boas do meu pai. Ele faleceu há uns anos, mas deixou muitas histórias e foi baseado em uma delas que me inspirei nessa fase.

O FAZEDOR DE CAFÉ

(mais…)
LOGLINE
14.08.2020

LOGLINE – Imagina que você escreveu um livro muito bom e está em busca de uma editora, mas não está fácil. De repente você entra em um elevador e logo em seguida o editor da sua editora dos sonhos também entra. Ele vai sair um andar antes do seu, portanto é a oportunidade perfeita para você vender seu peixe. Então, como você contaria a sua história em um minuto?

Esse é o conceito da Logline: contar a sua história de uma forma breve e atrativa.
O quão breve? Bem, em uma ou duas frase. Veja bem esse exemplo:

(mais…)
#2 A MEMÓRIA MAIS FELIZ DA INFÂNCIA
02.06.2020

Olho meus joelhos, nenhuma cicatriz. Marcas? Nada. Me pergunto se tive uma infância feliz. A resposta é sim.
Filha de pais amorosos e irmã super protetora, eu nunca fui de sair correndo por ai vivendo grandes aventuras. Apesar de tagarela, sempre fui contida.

A história mais feliz se perde no meio de tantas.
Os aniversários nunca deixavam de ser comemorados, mas a gente não tinha descanso! Tinha que enrolar brigadeiro e encher balão, eu amava cada segundo do meu dia especial.
Teve também a vez que ganhei um cachorrinho tão pequeno que tive que chamá-lo de Pitoco.

(mais…)
FOTOJORNALISMO: CIDADE
16.05.2020

Oi, tudo bem? Esse post vai ser duas coisas: 1. um compilado de fotos que tirei para alguns trabalhos de fotojornalismo na faculdade e 2. um texto que escrevi para uma oficina de escrita que consistia em escrever sobre uma cidade como se ela fosse uma pessoa.

PRAIA DA GRACIOSA

(mais…)
STORY CUBES
29.04.2020

Oie! Ontem nos stories chamei vocês para brincarem de Story Cubes comigo.
Story Cubes é um joguinho bem bacana e criativo. São 9 dados (54 figuras) e só.

INSTRUÇÕES

Ao jogar os dados, observamos as faces que estão viradas para cima.
Cada imagem é um elemento de uma história que você vai inventar, então seja criativo!.
A sugestão é usar 3 dados para o início, 3 para o meio e 3 para o final.

Então aqui está a historinha maluca que eu inventei! Pega um papel e uma caneta e vem jogar comigo!

STORY CUBES #1 – O INCENDIÁRIO

(mais…)
#1 ESCREVA SOBRE O SEU PRIMEIRO AMOR
27.04.2020

Primeiro Amor

Estudava na mesma escola havia anos, nada acontecia de diferente ali, então um dia aconteceu.
Eu não lembro bem quantos anos eu tinha, mas parecia que eu tinha nascido para aquilo, para gostar de alguém.

Seu nome era Gilberto, um nome pouco comum para uma criança. Deveria ter uma lei dizendo que só pessoas velhas deveriam ter nomes tão adultos, assim como João Vitors só podem viver até os dez anos.

Foi o sorriso. O sorriso de Gilberto. Me apaixonei pelos dentes branquíssimos perfeitamente enfileirados. Até os olhos dele sorriam!
Juro que uma vez vi uma estrelinha igual desenho animado quando ele gargalhou.

Infelizmente, esse não era um caso de quem ama o feio, bonito lhe parece. Todas as garotas da escola nutriam um crush pelo meu primeiro amor, então eu não tinha a menor chance.

(mais…)
ESCRITA #1: A HISTÓRIA QUE VOCÊ QUER CONTAR
10.04.2020

ESCRITA – Quer escrever um livro? Então, você é capaz. Muito se fala de dom, nunca acreditei nisso e compartilho do mesmo pensamento do escritor Raphael Montes, ele diz: não é dom, é no máximo predisposição.

Uns dias atrás reclamei que minha inspiração tinha sido roubada pelos processos da escrita. Quando eu tinha 19 anos, escrevi um livro e pareceu muito fácil! É um livro bem escrito? Não. Mas fui capaz de escrever 193 páginas, então isso deve valer alguma coisa.

Isso aconteceu porque eu não fazia a menor ideia do que estava fazendo. O Raphael disse a mesma coisa, ele escreveu Suicidas aos 16 anos de maneira bem irresponsável até. Tudo isso fez mais sentido ainda quando li o discurso Make Good Art de 2012 do Neil Gailman (que eu recomendo fortemente que você leia aqui), ele diz:

“As pessoas que sabem o que estão fazendo conhecem as regras, e sabem o que é possível e o que é impossível. Vocês não. E vocês não devem. As regras sobre o que é possível e impossível nas artes foram feitas por pessoas que não tinham testado os limites do possível indo além deles. E vocês podem.”

(mais…)
12
@lumanunesblog No images found!
Try some other hashtag or username