AGORA E PARA SEMPRE, LARA JEAN
14.08.2018

Chegou o final da trilogia que mais me fez feliz esse ano 🙁  Mas vamos lá. Fazendo um resumo bem breve da série inteira, é muito fácil amar Para Todos Os Garotos Que Já Amei, só por ele existir; apesar de ter ficado chateada com várias coisas em P.S.: Ainda Amo VocêAgora e Para Sempre, Lara Jean foi o livro que encerrou com chave de ouro. A trilogia é muito completa.

Acho que isso também é parte de crescer, ter de despedir de coisas que você amava.

É muito fácil gostar da Lara Jean, ela é muito fofa, me identifico com seu jeito de tentar fazer as coisas serem especiais, além de ser uma personagem real com problemas reais.

Eu fiquei magoada com Peter, mas sou muito grata por a escritora não ter mudado ele. Era um esforço enorme ficar me lembrando que ele só tem dezessete anos, mas gostei muito de ele não ter amadurecido, conforme eu queria. Peter continuou mimado, mesmo que estivesse me incomodando, porque é o jeito dele mesmo, um menino que não arruma nem a cama (oi, Babi!).

Ser vulnerável, deixar pessoas se aproximarem, se magoar… tudo isso é parte de estar apaixonado.

Todos tiveram fim. Quando os personagens pararam de ser relevantes, eles simplesmente saíram de cena, sem drama, sem ficar tentando incluir. Os personagens saíram na hora que tinham que sair e pronto. As coisas, na verdade, são assim.

O que eu mais amei no personagens é que eles eram o que eram e não se desculpavam por isso. Todo aquele papo que eu já falei aqui um milhão de vezes sobre personagens reais. Cada um com suas particularidades, defeitos e perfeições. Mas, pra mim, a série não tem defeitos.

Nós fazemos nossa própria sorte.

Espero que vocês tenham gostado, se não leram ainda, corre! O filme vai ser lançado sexta-feira (17/08) na Netflix.

Agora E Para Sempre, Lara Jean

Autor: Jenny Han Ano: 2017 Páginas: 304 Editora: Intrínseca Nota: 5/5

 

É assim que acontece? Você se apaixona e nada mais parece assustador, e a vida é apenas uma grande possibilidade?

P.S.: AINDA AMO VOCÊ
12.08.2018

Contém spoiler do livro anterior, Para Todos Os Garotos Que Já Amei.

Nessa altura do campeonato na saga amorosa de Lara Jean você já deve imaginar que ela e Peter K. transformaram o namoro de mentirinha em um de verdade. E todo aquele processo de conhecer o outro, de aprender a namorar de verdade começa. Só que a ex do Peter, Gen, fica rondando e e essa parte me deixou p. da vida.

– Lara Jean, acho que você meio que se apaixona por todo mundo que conhece. Faz parte do seu encanto. Você esta apaixonada pelo amor.

O Peter me desanimou demais, ele ficou criando caso com um segredo da Gen que deixava a Lara Jean enciumada. Além do mais, ele ficava “meu treino, bláblá, minha vida” e não fazia absolutamente nada por ela. Tudo por causa de um segredo totalmente desnecessário.

Sei agora que não quero amar e ser amada pela metade. Eu quero tudo, e para ter tudo, você precisa arriscar tudo.

Por falar em segredo desnecessário, eu fiquei muito chateada porque o livro ficou focando nessa coisa besta, em vez de ter trabalhado em um assunto que me chamou bastante atenção. É que a Lara Jean e o Peter brigam e eles se reconciliam em um ofurô, é tudo bem inocente, só que eles são gravados sem saber e esse vídeo vaza como se fosse uma história de amor tórrida e ardente.

A sociedade está sempre pronta para envergonhar a mulher por gostar de sexo e aplaudir o homem.

Fiquei triste com a Lara Jean porque ela ficou o tempo todo se reprimindo pra não magoar o bonito, sendo que ele tava magoando ela o tempo todo. Mas fugindo do foco desse relacionamento chatonildo, Lara Jean está sendo voluntária em um asilo e eu achei esse núcleo super divertido, impossível não morrer de amores por Stormy.

Esse foi o livro que deu tudo errado, que bateu uma indignaçãozinha, contudo fez eu me apaixonar tudo de novo. Um novo garoto apareceu e eu fiquei doidinha de amores: John Ambrose McLaren. Pensa em um cavalheiro, gente! Ele é a coisa mais linda, inteligente e charmosa desse universo inteiro.

Talvez as coisas muito, muito boas não sejam feitas para durar tanto tempo; talvez seja o que as torna mais doces, o fato de serem temporárias.

P.S.: Ainda Amo Você

Autor: Jenny Han Ano: 2016 Páginas: 304 Editora: Intrínseca Nota: 4/5

O corpo é seu, e é você que tem que protegê-lo e se divertir com ele. Com quem você decide compartilhar a diversão é escolha sua… Você decide quem, até onde e com que frequência, se decidir que sim.

Eu sou apaixonada pela série, porém, esse não é o meu volume favorito.

Beijos e até a próxima

PARA TODOS OS GAROTOS QUE JÁ AMEI
09.08.2018

Ganhei Para Todos Os Garotos Que Já Amei em 2015, mas só li agora por causa da hype do filme e to tão arrependida, deveria ter lido antes! Meu Deus, eu estou muito apaixonada!

O Livro

É o seguinte, Lara Jean é uma romântica incurável que já se apaixonou cinco vezes. Ela vive todas as paixões platônicas intensamente e conforme os sentimentos vão passando, ela escreve cartas sinceras para o s garotos, mas nunca as entrega, ela as guarda na caixa de chapéu que sua mãe lhe deu.  A confusão começa quando as cartas desaparecem e reaparecem nas mãos de seus destinatários.

As cartas me libertam. Ou pelo menos deveriam.

Para Todos Os Garotos Que já Amei é o primeiro volume de uma trilogia e é onde conhecemos a família de Lara Jean.

Os Personagens

Ela tem duas irmãs e mora com o pai, sua mãe morreu de uma forma muito peculiar. Margot é a filha mais velha e está indo pra faculdade na Escócia, conversei com várias pessoas e todas elas odiaram a garota, mas eu não consegui. Margot praticamente criou as meninas e cuidou da casa, teve que amadurecer muito cedo, ela também é namorada de Josh, um dos amores de Lara Jean.

Irmãs deveriam brigar e fazer as pazes porque são irmãs, e irmãs sempre encontram o caminho de volta uma para a outra.

A irmã mais nova é Kitty, no começo eu achei ela muito criancinha pra idade que tem, mas depois acabou virando minha personagem favorita. Cheia de atitude, a garotinha é muito criativa, esperta e inteligente.

E o pai da Lara Jean também é um fofo, ele é ginecologista e é engraçadinho também.

Os Garotos

Agora vamos aos garotos, nesse primeiro livro o foco está em dois deles: Josh e Peter.

Na primeira fala já me apaixonei pelo Josh. Ele conhece as meninas desde criança, é um amigão e a Kitty o ama. Ele é praticamente parte da família e confesso que fiquei morrendo de dó dele.

O segundo garoto é Peter: o popular da escola. Ele é lindo e muito otário, então obviamente eu gostei dele. Adorei seu cinismo e sua esperteza.

Para que uma coisa dê errado de um jeito tão colossal e horrível, tudo precisa acontecer na ordem certa e no momento certo, ou, nesse caso, no momento errado.

O que acontece é que quando as cartas são enviadas, Josh recebe a dele e Peter também recebe uma.

Só que Lara Jean ainda é muito apaixonada pelo Josh, enquanto Peter é paixão vencida, então ela acha que é uma boa ideia fingir namorar Peter para despistar Josh. Peter acaba concordando com a ideia porque ele está doidinho pra passar ciúme em sua ex namorada Gen.

Minha Opinião

A confusão está armada, ahh e esperem passar muita vontade porque Lara Jean é uma cozinheira de mão cheia. Sabe quando um livro te faz feliz e te diverte? Então! Me identifiquei demais com ela, tanto pelo romantismo quanto pelo drama. É muito fácil se apaixonar pelos personagens e isso faz com que a leitura flua e que você devore o livro rapidão. Recomendo! Se você ainda não está convencido, então olha esse trailer maravilhoso:

Autor: Jenny Han Ano: 2015 Páginas: 320 Editora: Intrínseca Nota: 5/5

LISTAS DE LEITURA
07.08.2018

Oi gente! Adoro fazer essa lista de resumos e expectativas de leitura do mês. Espero que vocês gostem também.

Lidos em Julho

Para Todos Os Garotos Que Já Amei ♥♥♥♥♥

Eu tô tão feliz por ter lido esse livro! Deveria ter lido muito antes, mas não vamos chorar pelo leite derramado, né? Semana que vem, o filme estará disponível na Netflix, estou muito ansiosa para ver na tela a história da atrapalhada Lara Jean e suas cartas de amor perdidas!

P.S.: Ainda Amo Você ♥♥♥♥♥

A continuação do livro acima me fez muito, muito, muito feliz! Só tenho elogios pra essa trilogia.

Agora e Para Sempre Lara Jean ♥♥♥♥♥

Estou economizando nos comentários porque as resenhas vão sair ainda essa semana, mas só para vocês ficarem cientes esse é o último livro da trilogia Para Todos Os Garotos Que Já Amei.

O Ódio Que Você Semeia ♥♥♥♥♥

Foi o meu melhor livro do ano até agora e tem tudo pra estar no meu top 5 de livros favoritos do universo. Starr presenciou o melhor amigo ser assassinado na sua frente, o motivo? A cor da sua pele. O livro mostra Starr tentando encontrar sua voz estando em um sociedade racista.

Disgrace ♥

Acabei de lembrar que não fiz resenha no insta (resenhas de kindle eu normalmente faço no ig), mas vou providenciar pra vocês descobrirem o motivo da mísera estrelinha.

Para ler em Agosto

The Chase

Era o livro mais esperado do ano, por mim. Devorei e já tem resenha no Instagram.

Capitães De Areia

Livro do mês do clube do livro, mas estava doida pra ler bem antes disso.

A Verdade Sobre Nós

A probabilidade de eu gostar desse livro é zero. Mas já está na minha estante há tanto tempo… Resumindo, é a história de uma menina de dezesseis anos que namora o professor de vinte e cinco. Entendeu minhas reservas?

Mil Palavras

Eu amo essa escritora. Ela sempre aborda temas polêmicos, porém necessários. Em A Lista Negra, ela retratou a história de uma adolescente cujo namorado abriu fogo em uma escola, matando uma lista de alunos que ela tinha elaborado de brincadeira. Em Amor Amargo a conversa é sobre relacionamento abusivo. Dessa vez Jennifer Brown nos fala sobre nudez na internet.

Literalmente

Eu tenho um outro livro dessa escritora e mesmo que não tenha lido ainda, acho o estilo dela muito peculiar. Vou deixar a sinopse falar por si só:

Annabelle leva uma vida perfeitamente sob controle. Mas as coisas começam a fugir do controle quando Lucy Keating, autora best-seller de livros juvenis, vai à sua escola falar sobre seu novo romance e, curiosamente, passa a descrever a vida de Annabelle. Logo fica claro que Annabelle é a mais nova protagonista da história de Lucy e, de súbito, o relacionamento de seus pais não parece mais tão perfeito, a casa que tanto ama corre sérios riscos de ser vendida, Will — um aluno transferido que parece literalmente feito para ela — não é mais tão interessante e Elliot, o melhor amigo de seu irmão, passa a ser algo mais que apenas um coadjuvante em sua história. Lucy Keating pode ter um plano para ela. Mas Annabelle está disposta a escrever sua própria história.

Vingança

Esse também está na minha estante há séculos, mas única coisa que vou dizer é que é uma mistura de Romeu e Julieta com O Poderoso Chefão.

Wishlist

Leah Fora de Sintonia

Quem ai leu Simon Vs. A Agenda Homo Sapiens já conhece a Leah.  Em um livro só dela, mas com participações mais do que especiais dos personagens do primeiro livro, vamos acompanhar Leah em sua luta para se encontrar e saber com quem dividir suas verdades e seus sentimentos mais profundos.

E ai gente, o que vocês me contam? Quais são as metas de leituras de vocês? Vocês já leram algum desses livros?

Beijos e até a próxima!

EM PEDAÇOS
29.07.2018

Oi gente! Vocês, alguma vez, se sentiram enganados pelos trechos de livros? Então… Mês passado a editora Paralela divulgou intensamente o livro Em Pedaços divulgando quotes lindíssimos e uma sinopse que diz:

Nessa recontagem moderna de A Bela e a Fera, Lauren Layne nos traz uma história irresistível de perdão, cura e, acima de tudo, amor.

Não tinha nada para dar errado, né? Exceto que tinha sim.

Sobre o livro

Começando por Olívia que tem New York aos seus pés. Todos estranham quando a mocinha larga a faculdade e abre mão de seu conforto para trabalhar voluntariamente cuidado de um veterano de guerra. Nem Olivia sabia em que estava se metendo, pois ficou surpresa ao ver que seu paciente não era o senhor que ela esperava ver e sim um jovem de vinte quatro anos atraente, porém amargurado.

Paul está furioso com o mundo, ele gasta seus dias trancando e casa entre livros e garrafas de uísque. Ele está cansado dos pesadelos onde sempre se vê no Afeganistão e também da insistência de seu pai em trazê-lo de volta a vida. Olívia é seu último recurso, ele só precisa mantê-la por três meses e estará livre para viver como quiser. Mas será que três meses são suficientes?

O que eu achei

Li Em Pedaços em dois dias e fiquei muito feliz porque não lembrava a última vez que tinha realizado uma proeza dessas. Como disse ali em cima, comprei principalmente por causa dos trechos e apesar de não gostar de capas com pessoas estampadas nelas, dessa eu gostei, achei romântica e solar.

Pelo tempo de leitura, nota-se que eu até gostei da história, mas isso não significa que eu tenha ficado incomodada com algumas coisas.

Deveria ser um alivio,  mas não consigo afastar um pressentimento sombrio. Não importa para onde eu olhe, as paredes estão caindo. E essa garota continua despertando em mim a coisa mais perigosa do mundo. Esperança.

A dominância de Paul sob Olívia me deixou algumas vezes preocupada, mas o real incômodo realmente foi o final. Pra começar que o segredo de Olívia não é uma coisa tão corrosivo, como dito em sinopse.

Segundo que as preocupações de Paul não são legítimas, tava muito óbvio pra mim de que seria resolvido com um simples diálogo. Mas ok.  Clichêzinho, para ler rápido. Se joga.

Autor: Lauren Layne Ano: 2018 Páginas: 248 Editora: Paralela Nota: 4/5

HIM // ELE
27.07.2018

Oi gente 🙂

Esse mês a editora Paralela anunciou que lançaria Him, o alvoroço nas redes sociais foi intenso e eu não me aguentei e li em inglês. Vocês vão concordar comigo quando digo que não é muito comum encontrar na lista dos mais vendidos, um romance cujo os protagonistas  são gays.

Confesso que já estava entediada dos romances de sempre e achei que talvez seria a oportunidade perfeita para fugir da mesmice.

Sobre o livro

Ryan Wesley e James Canning são amigos desde adolescentes, mesmo que se encontrassem somente no acampamento de verão, uma vez por ano, eles sempre mantiveram contato quando cada um voltava pra sua cidade de origem. Até que quatro anos atrás, Jamie e Wes cruzaram uma linha e depois nada mais foi o mesmo. Acontece que agora eles terão que se encontrar, pois ambos são atletas de Hockey e seus times vão se enfrentar. É a oportunidade perfeita para colocarem as cartas na mesa e porque não reviverem um verão intenso?

O que eu achei

Eu gostei da premissa, por mais clichê que seja: amigos que fazem algo “proibido”. Nesse lado, Wes pensa mais no assunto que Jamie. É Wes que foge e dá pra entender porque ele se sente inseguro, só que no decorrer da trama ele sempre tá pensando demais e às vezes, o achei paranoico.

Eu amo o Jamie e adoro o fato de ele ser bissexual, é muito legal a gente acompanhar o  processo de reconhecimento dele, principalmente porque temos a mania de rotular as pessoas de gay ou hétero, sendo que há muito mais orientações além dessas.

Eu tinha dito que ele havia agido como um idiota. Mas é mentira. Sou eu quem está apaixonado pelo melhor amigo e finge o contrário.ㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤ

O livro é recheado de cenas de sexo, talvez por isso eu tenha achado que deixou de passar uma mensagem mais efetiva. Eu estava consciente do teor erótico, só não esperava a frequência exacerbada. Mesmo assim, eu curti ler, foi uma história bem rápida e cativante
ㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤ
Eu não sou gay, então talvez não seja a pessoa mais adequada para falar sobre isso, mas acho que as escritoras escorregaram em alguns aspectos, por exemplo, os personagens deixam de ser desenvolvidos em prol das cenas de sexo e como o esteriótipo de gay machão é esfregado na nossa cara o tempo todo.

Ainda bem que Jamie não é um guarda de trânsito, porque ele está mandando sinais confusos o bastante para causar um acidente feio.

Eu nem ia ler a continuação chamada Us, mas me disseram que vale mais a pena. Então vamos lá. Daqui uns dias espero voltar com uma nota um pouco melhor.

Autor: Elle Kennedy e Sarina Bowen Ano: 2018 Páginas: 256 Editora: Paralela Nota:3/5

INFINITO + UM
26.07.2018

Oi gente! Estou super empolgada para falar sobre esse livro que tenho na estante desde 2015 e não sei porque nunca tinha lido, pois já conhecia o trabalho da escritora de Beleza Perdida e amava!

Vou ser muito cautelosa para não dar spoilers porque Infinito + Um é cheio de truques que fazem a gente se apaixonar pelos mínimos detalhes da história.

A história

Vocês já ouviram falar em Bonnie e Clyde, o casal de ladrões apaixonados que morreram de forma trágica? Então essa história de amor real e perigosa é contada paralelamente a história de Bonnie Rae Shelby e Finn Clyde.

Bonnie é uma pop star muito famosa, mas está perdida e acha que quer morrer. Já Finn é um zé ninguém, mas não um zé ninguém qualquer. Ele é um gênio da matemática.

Estranhas circunstancias (muito estranhas mesmo e é ai que mora a magia da história) juntam o garoto que quer esquecer o passado e a garota que não consegue enfrentar o futuro.

Eles viajam por ai tendo só um ao outro, se divertido, causando problemas e ajudando quem precisa <3

O que eu achei

Esses dias eu estava procurando uma tag para responder, eu devia dizer qual a minha cena de beijo favorita, mas não consegui pensar em absolutamente nenhuma e isso me deixou muito triste. Senhoras e senhores, informo-lhes que esse problema foi solucionado. O primeiro beijo de Bonnie e Finn me tirou o fôlego.

Finn é fácil de gostar, me apaixonei.  Ele é silencioso, mas sempre diz as coisas certas, o passado dele é sombrio e ele não gosta de pensar sobre isso, adoro a mistura de bom moço com rebeldia. Ele é um personagem delicadamente apaixonante.

Bonnie é atrevida, ácida, mas tem o coração do tamanho do universo. Amei ver o crescimento dela no decorrer da trama.

Meu personagem favorito é o William! Adoro todo o misticismo doido dele e me diverti muito. Afinal, como não amar quem acredita em Bonnie e Clyde? 😉

Trechos

O tempo pode curar todas as feridas, mas não é nenhum cirurgião plástico.

Que tal isto para uma equação? Bonnie mais Finn é igual a um grande picolé.

A tatuagem é uma lembrança de que as escolhas feitas no desesperoo quase sempre são escolhas ruins.

A voz de Deus não era como água correndo, era o silêncio.

O infinito é um número imaginário?

Quem é o gênio agora?

Infinito + Um

Autor: Amy Harmon Ano: 2015 Páginas: 336 Editora: Verus Nota: 5/5

Supernormal
08.07.2018

Três coisas chamaram minha atenção na hora de ler Supernormal: a capa, os quotes que a editora divulgou no insta e o tema. Eu estava conversando uma amiga dias atrás e em certo momento entramos no assunto sobre o que era cis, identidade de gênero, orientação sexual e estávamos afiadas. Em certo momento ela comentou que um colega de classe não sabia o que era cis e isso me deixou pensativa: como toda essa informação chega até a gente?

O livro

Quando criança, Beto tinha um melhor amigo chamado André. Anos depois, Beto é um advogado em ascensão e tudo vai muito bem, obrigado, até ele reencontrar André, ou melhor, Helena. Seu melhor amigo de infância é uma mulher trans e isso faz com que Beto reveja todos os seus conceitos.

Beto é um pouco dramático e confesso que por muitas vezes o estilo de escrita me incomodou, mas o x da questão era exatamente esse: Supernormal veio para cutucar.

Minha Opinião

Fiquei desconfiada quando o Pedro Neschling (sim, o ator!), homem hétero, escreveu um livro sobre pessoas trans, sendo que esse não é o seu lugar de fala. Contudo, me senti bastante contemplada pelos assuntos abordados, mesmo que de forma superficial (o livro tem 200 páginas, galera).

A linguagem é simples e me despertou interesse para buscar mais. Representatividade importa e acho que tornou a informação um pouco mais acessível.

Queria que a infância dos dois tivesse sido mais explorada e em alguns pontos senti um certo tom de generalização. Senti falta de alguns desfechos e também acho que ele abordou assuntos paralelos e por isso acabou falando um pouco sobre tudo superficialmente, sendo que poderia ter focado e trabalhado melhor no tema principal.

Além de abordar a transexualidade e dentro desse nicho: a cirurgia transicional, identidade de gênero e orientação sexual, também há referências ao feminismo e violência doméstica.

O Pedro incluiu muitas músicas e descrições de looks, o que me agrada bastante pois é algo muito presente na escrita dos brasileiros. Eu torcia pro livro ser mais profundo, mas acho que já é um começo.

Supernormal

Autor: Pedro Henrique Neschling Ano: 2018 Páginas: 200 Editora: Paralela Nota: 4/5

Na Minha Estante: Lidos / TBR / Wishlist
02.07.2018

Lidos em junho

Supernormal ♥♥♥♥

Esse nacional foi uma leitura muito rápida, afinal o livro só tem 200 páginas e conta a história de Beto, que quando era criança tinha um melhor amigo chamado André. A vida acontece e eles ficam muitos anos sem se ver, quando se reencontram, André não é mais um garotinho. Ele se chama Helena, uma mulher trans.

Em Pedaços ♥♥♥♥

Eu tava doidinha pra ler esse romance, é da mesma escritora de Mais Que Amigos. Olivia tem NYC aos seus pés, por isso as pessoas estranham quando ela tranca a faculdade para trabalhar como cuidadora de um veterano de guerra. Paul não etá nada contente com isso, ele tem muitos traumas e prefere ficar sozinho, mas de um jeito ou de outro, eles não conseguem se afastar.

Cracked Kingdom ♥

O quinto livro da série Royals e o segundo focado no Easton. Ai gente, sinceramente não sei porque ainda to dando corda pra essa série, mas vamos lá. A Hartley perdeu a memória e tem muita gente se aproveitando disso e a história é basicamente isso, ela tentando recuperar suas memórias e o Easton tentando ajudar.

Him ♥♥♥♥

Him livro vai ser lançando agora no Brasil, pela Paralela, como Ele, eu não me aguentei e fui ler. É um romance LGBT que conta a história de Wes e Jamie, dois jogadores de Hockey. Eu gostei, achei meio raso, mas a escrita me cativou e é bem erótico.

Sr. Daniels ♥♥♥♥♥

Eu não sei se vocês sabem, mas esse é apenas o meu livro favorito, e sim, eu nunca resenhei ele aqui. Estou disposta a mudar isso muito em breve, nem vou falar nada sobre agora kkk.

 

Para ler em julho

Disgrace

Foi lançado em inglês dia 28 e conta a história de Grace, uma mulher que não acredita mais no amor depois de o marido a deixar por outra mulher, e Jackson que não acredita em compromissos. É uma história sobre corações partidos e eu to só esperando meu emocional melhorar pra começar rs.

Para Todos Os Garotos Que Já Amei

Eu ganhei esse livro há um tempão e agora que saiu o trailer fiquei com vontade de ler. Lara Jean guarda cartas de amor não enviadas, cinco delas. Só que essas cartas acabam sendo enviadas aos seus remetentes sem querer. Já entenderam, né? Delicinha demais.

Sol Em Júpiter

Já tô há dois meses tentando ler esse livro, ele é nacional e tô sentindo que agora vai! Sol é uma digital influencer com a vida perfeita, mas será? Quando ela conhece Júpiter, seu mundo balança e ela descobre que nem tudo é aquilo que a gente pensa que é.

O Ódio Que Você Semeia

Acho que essa vai ser a leitura mais poderosa do mês, é o escolhido do clube do livro e vai ter filme também. Starr presenciou o melhor amigo ser assassinado na sua frente, o motivo? A cor da sua pele. O livro mostra Starr tentando encontrar sua voz estando em um sociedade racista.

 

Wishlist

Tarde Demais

Eu já li em inglês e amei! É o novo lançamento da Colleen Hoover pela editora Record.

Us

A continuação de Him ♥

 

E ai gente, o que vocês me contam? Quais são as metas de leituras de vocês? Vocês já leram algum desses livros?

Beijos e até a próxima!

Clube do Livro #3: Fahrenheit 451
24.06.2018

No Clube do Livro do mês passado nós lemos Fahrenheit 451. Escolhemos por causa do dia do Orgulho Nerd e também pela estréia do filme. Investimos em um jantarzinho árabe e entre risadas discutimos esse clássico. A curiosidade é que Fahrenheit 451 é a temperatura exata em que um papel pega fogo.

Os bons escritores quase sempre tocam a vida. Os medíocres apenas passam rapidamente a mão sobre ela. Os ruins a estupram e a deixam para as moscas. Entende agora por que os livros são odiados e temidos? Eles mostram os poros no rosto da vida.

Sinopse

Imagine uma época em que os livros configurem uma ameaça ao sistema, uma sociedade onde eles são proibidos. Para exterminá-los, basta chamar os bombeiros que agora são os responsáveis pela manutenção da ordem, queimando publicações e impedindo que o conhecimento se dissemine como praga.

Para coroar a alienação em que vive essa nova sociedade, as casas são dotadas de televisores que ocupam paredes inteiras de cômodos, e exibem “famílias” com as quais se pode dialogar, como se estas fossem de fatos reais.

Este é o cenário em que vive Guy Montag, bombeiro que atravessa séria crise ideológica. Sua esposa passa o dia entretida com seus “parentes televisivos”, enquanto ele trabalha arduamente. Sua vida vazia é transformada quando ele conhece a vizinha Clarisse, uma adolescente que reflete sobre o mundo à sua volta e que o instiga a fazer o mesmo.

O sumiço misterioso de Clarisse leva Montag a se rebelar contra a política estabelecida, e ele passa a esconder livros em sua própria casa. Denunciado por sua ousadia, é obrigado a mudar de tática e a buscar aliados na luta pela preservação do pensamento e da memória.

Um clássico de Ray Bradbury, “Fahrenheit 451” é não só uma crítica à repressão política mas também à superficialidade da era da imagem, sintomática do século XX e que ainda parece não esmorecer.

Bárbara

O que mais me chamou a atenção em Fahrenheit 451 foi o fato de ter sido escrito em meados dos anos 50, abordando uma realidade distópica que se passaria no futuro e mesmo assim me identificar tanto com ela. Não é difícil perceber que a alienação causada pela tecnologia e total falta de profundidade nos relacionamentos é um fato já observável nos dias de hoje, e foi bem triste me dar conta de que apesar de não vivermos em uma sociedade em que livros são proibidos e queimados, vivemos em uma sociedade que cada vez menos pessoas se interessam por eles. Esse livro me fez questionar se isso não é ainda pior.

Fernanda

Fahrenheit 451 não é um livro simples. Sua leitura progride devagar enquanto observamos o mundo do protagonista, um lugar onde a diversão e felicidade é valorizada acima de tudo e todos. No mundo de Fahrenheit 451 as pessoas estão anestesiadas pelo entretenimento.
Então acompanhamos a trajetória do protagonista ao questionar essa vida quando conhece alguém que era diferente dos demais. O livro me surpreendeu em diversos momentos: seja a profundidade de personagens secundários, seja sua ambientação fascinante explorando um futuro que mesmo imaginado por volta dos anos 50 nos parece terrivelmente real hoje em dia.

Luma

Talvez eu não devesse ter lido a sinopse ou ter visto o trailer porque me senti enganado por ambos. Antes de qualquer coisa esperava uma especie de A Menina Que Roubava livros, mas não chegou nem perto. Apesar de ter achado a premissa interessante, achei que faltou um pouco mais de aprofundamento nos personagens.

E é um tanto assustador ver que já vivemos um pouco da realidade desse livro considerado ser ficção, onde olhamos somente para o nosso umbigo e que educação já não é prioridade dos nossos governantes. Afinal de contas, pessoas cultas não se deixam trapacear facilmente. Encerro dizendo que o protagonista não chega nem aos pés do Beatty, o livro deveria ter sido sobre ele.

Sara

Imagine uma sociedade onde seus indivíduos estão tão anestesiados por remédios, tão influenciados pela televisão, uma sociedade onde os livros não são mais permitidos, onde são queimados por bombeiros (antes os que apagavam o fogo, agora os que o despertam), onde o torpor é o bem mais precioso.

Esse é o universo que encontramos em Fahrenheit 451, uma distopia primorosa da ficção científica que nos atenta para a alienação cada vez mais presente e pulsante em nós, 451 graus Fahrenheit é a temperatura necessária para que o papel fique em chamas e essa mesma chama é o nosso consciente ao final do livro, tão desperto para importantes questões.

 

Espero que tenham gostado e que estejam preparados para a nossa próxima leitura!

@lumanunesblog