FOTOJORNALISMO: CIDADE
16.05.2020

Oi, tudo bem? Esse post vai ser duas coisas: 1. um compilado de fotos que tirei para alguns trabalhos de fotojornalismo na faculdade e 2. um texto que escrevi para uma oficina de escrita que consistia em escrever sobre uma cidade como se ela fosse uma pessoa.

PRAIA DA GRACIOSA

(mais…)
FOTOGRAFIA PARA REDES SOCIAIS
20.04.2020

Oi gente, estou começando a divulgar meus trabalhos por aqui, vai que tem um empregador aqui de olho, não é? Hoje vim compartilhar o meu primeiro trabalho remunerado de fotografia para redes sociais e vou dizer o que aprendi com essa experiência. O que vou falar aqui são apenas coisas que funcionaram para mim.

O job era fazer as fotografias das makes que ilustram esse post. A primeira coisa que fiz foi conhecer os produtos, nesse caso eram maquiagens importadas caríssimas. Ou seja, eu precisava valorizar muito as fotos.

O MERCADO MUSICAL EM PALMAS
15.04.2020

O Mercado Musical em Palmas
A foto acima foi retirada do instagram @bocadecantora
O ensaio foi pensado e executado pelo @cameraxt e @brian_cstr

No último semestre, fiz minha matéria favorita até agora: Radiojornalismo. Então resolvi trazer para o blog algumas matérias que produzi para a rádio da faculdade. É um trabalho bem amador, mas eu amei.
Essa foi a minha primeira matéria.

LUMA NUNES – MERCADO MUSICAL EM PALMAS – REPÓRTER CALANGO (SETEMBRO DE 2019)

(mais…)
ENTREVISTA: TALITA PANIAGO (DOCEMENTE SOMBRIA)
24.03.2020

Seis anos atrás eu entrevistei a Talita e hoje ela está com um projeto muito legal e cheia de histórias para contar no Docemente Sombria. Tudo começou há doze anos, Talita se interessou por um livro da criminóloga Ilana Casoy e anos depois foi incentivada por um amigo a se matricular no curso de psicologia.
Para ler a entrevista de 2014, clique aqui.

(mais…)
BIO NATURAL
10.09.2019

Oi gente, mais uma da série trabalhos da faculdade bons demais para não serem mostrados hahaha. Então, esse trabalho sobre a Bio Natural foi para uma matéria de verão que eu fiz, Introdução a Publicidade e Propaganda que é a área que eu quero seguir 🙂

Deveríamos criar uma apresentação para mostrar um novo produto no mercado e foi assim que surgiu a Bio Natural: um creme dental e enxaguante bucal veganos que compartilham a mesma embalagem.

Toda proposta foi feita baseada na Sallve e a apresentação foi feita através do Canva que já tinha o modelo pré estabelecido.

(mais…)
HABITUAL MAGAZINE
13.08.2019

A revista habitual foi um trabalho que desenvolvi no terceiro período da faculdade de Jornalismo com meus colegas. Como nossa nota foi boa, resolvi compartilhar com vocês explicando um pouco nossas ideias e como produzimos tudo.

A REVISTA HABITUAL

A revista foi pensada para mulheres que por algum motivo estão saindo da casa dos pais para alcançar sua independência. Pensamos em trazer um conteúdo diversificado dando dicas de decoração, finanças, organização… Tudo para que nossas leitoras encontrem seus lugares no mundo.
O design foi todo feito através do Canva e as imagens que ilustram as matérias são autorais e algumas de bancos de imagem.

SUMÁRIO

(mais…)
VOCÊ SE ACEITA COMO É?
03.03.2019

Oi gente! Um dos trabalhos desse semestre era fazer uma releitura através de fotografia da obra de um artista famoso sorteado previamente. O artista do meu grupo foi Monet e nós escolhemos o quadro Woman With A Parasol (essa ai de cima).
Precisávamos ligar a foto a um texto jornalistico cujo tema era: Aceitação do Corpo Feminino Frente os Padrões Impostos Pela Sociedade.

E eu que encabecei tudo levei um tapão na cara, pois fui a modelo da famigerada foto. Desde pequenas somos expostas a padrões irreais, por exemplo, a Barbie. Para nós, o bonito é o que nos é mostrado: corpo magro, sem manchas, sem estrias, sem celulites, pele branca, cabelos lisos… Sem falar em coisas mais extremas tipo genitais rosados e sem pelos.

(mais…)
DRAMAS UNIVERSITÁRIOS #2: ACABOU O 1º PERÍODO
15.11.2018

Oi gente!

Pra quem não sabe eu estudo Jornalismo na Universidade Federal do Tocantins (UFT) e o meu semestre que começou em agosto acabou de acabar. Em 2014 teve uma greve que atrasou todo o calendário, por isso está tudo reduzido agora para tentar organizar. Eu tinha uma série de posts programados, mas tudo aconteceu tão rápido que resolvi fazer um compilado com várias diquinhas.

O Curso

Jornalismo é um curso de quatro anos, nesse primeiro semestre eu fiz seis matérias:

Teorias da Comunicação – Gostei bastante dessa matéria e do professor também, as avaliações foram justas e foi uma das minhas maiores médias.

Introdução ao Jornalismo – Minha matéria preferida da vida, professora Alice, uma fada que meteu logo na primeira aula que ela considera jornalismo a profissão mais romântica de todas.

Filosofia – Foi uma relação de amor e ódio. O professor é muito inteligente e fugiu muito do convencional, eu particularmente gostava, mas o sistema avaliativo foi um desastre.

Leitura e Prática da Produção de Texto I – Essa matéria foi a mais complicada, professor exigente e que vou ter que encarar novamente o segundo módulo dessa matéria.

Sociologia – Pra minha surpresa foi uma das matérias que mais gostei, professor muito provocador.

Psicologia – Aula sábado de manhã, peeeeeensa. Mas era uma aula muito legal, acabei descobrindo muito sobre mim.

Dicas

  1. Anote onde cada professor costumar enviar suas atividades. Quase morri nos primeiros dias até entender que um fez grupo no face, outro no moodle, outro no e-mail pessoal, outro no e-mail acadêmico…
  2. Tenha uma rede contatos. Minha turma foi muito unida e todo mundo se ajudou bastante. Tenha seu bonde de confiança para quebrar seus galhos, mas lembre-se de ajudar seus colegas também!
  3. Tenha uma agenda. Você precisa ser muito organizado para controlar suas faltas, datas de provas e trabalhos e atividades!
  4.  Faça TODOS os trabalhos. Mesmo que sejam chatos ou de pontuação pequena, eles te salvam.

Diário

Quero deixar registrado aqui porque daqui uns anos eu vou poder ler e lembrar como me senti nos primeiros dias da faculdade e ver todo o meu crescimento.

Não acreditei quando vi que tinha entrado pra faculdade, só caiu a ficha mesmo no primeiro dia de aula. Entrei bem tímida e na minha turma a maioria das pessoas era bem mais nova que eu. Achei que seria uma loba solitária, que não precisava de ninguém e essa acabou por ser a minha maior lição: ninguém faz nada sozinho.

São tantas informações que quase enlouqueci nos primeiros dias. Estava morrendo de medo de não sacar nada de nada e quando vi mal conseguia acessar minha conta do meu e-mail institucional. Me senti bem burra, aparentemente, não sei ler nem escrever direito… E o meu dom de reduzir linhas é totalmente inútil na faculdade.

Acabei me enrolando um pouco com as faltas e já fiz um preparatório para o segundo período. Em relação aos trabalhos, eles me salvaram bastante, pois tenho muita dificuldade para fazer prova, gostaria de ter feito tudo com mais antecedência, mas jornada dupla é foda.

Se eu pudesse me dar uma nota de 0 a 5 eu me daria um 3 bem orgulhosa.

 

E é isso. Beijos e até a próxima!

DRAMAS UNIVERSITÁRIOS #1: UNIVERSITÁRIA AOS 26
23.08.2018

No auge dos meus dezessete anos eu entre na Federal do meu estado para Letras. Foi um desastre. Primeiro, porque eu não tinha certeza se era isso mesmo que eu queria; segundo, que eu estava no auge da minha adolescência querendo experimentar o mundo de todas as formas e nada melhor do que um ambiente universitário para isso.

Além disso, a faculdade ficava na cidade vizinha (60 km), eu tinha que pagar ônibus cedinho pra ir e voltava na hora do almoço, mal chegava em casa e já tinha que sair pra trabalhar, era uma rotina bem cansativa. Inclusive, quero parabenizar meus ex colegas que sobreviveram a isso.

Depois foi só ladeira abaixo, me matriculei em várias faculdades particulares e me especializei em primeiros períodos. Letras mais uma vez, Administração, Design Gráfico… E o tal de fazer o Enem todo ano. Até que ano passado eu bati o pé e falei que seria a última vez que faria. Funcionou.  Faltando um mês para eu completar meus vinte e seis anos, ingressei na UFT curso Jornalismo.

Meu receio inicial foi a questão de equilibrar trabalho e estudos. Trabalho em shopping, então não é uma rotina muito simples. Mas não é tão pesada quanto imaginei. Saio de casa as 9h, trabalho até às 18h20 pego um ônibus rapidinho e chego na universidade onde as aulas são até as 22h40, mas os professores são bem camaradas e quase sempre liberam mais cedo.

Ah e em relação a classe, nossa quanta diferença! Entrar agora aos 26 é bem diferente, afinal quase dez anos separam aquela Luma de Letras dessa atual. Estou muito feliz e definitivamente mais madura.

Nessa série eu pretendo contar mais sobre minha rotina e dar dicas, sei que muita gente passa pelo o que estou passando, então vai ser bom desabafar um pouco.

Dicas

  • Não se sinta culpado por entrar na faculdade tarde, cada pessoa tem seu tempo;
  • Não precisa se enturmar com o pessoal mais novo se isso não te deixa confortável;
  • Aproveite as aulas ao máximo;
  • Não falte às aulas(é um caminho sem volta);
  • Não comece a vagabundar (sério!).
Krav Maga – O hobbie favorito de Eva Tramell
02.12.2014

Oi gente!

Quando comecei ler a série Crossfire, logo algo me chamou atenção: o Krav Maga. Pesquisei algumas coisas no Google, mas não me contentei. Descobri um centro de treinamento filiado a Federação Sul Americana de Krav Maga aqui na minha cidade, onde tive a sorte de assistir uma palestra do Mestre Kobi – a maior autoridade do Krav Maga na America Latina.

Entrei em contato com o Fernando Cordeiro – o instrutor – que foi super simpático comigo e então me convidou para a palestra. Cheguei alguns minutos antes de começar e presenciei os minutos finais de uma aula de tirar o fôlego! Totalmente compreensível o  por quê da Eva sempre chegar em casa exausta depois do treino.

A turma é predominadamente masculina, porém as garotas não ficam para trás.

10517454_357634244396283_8642348726167046310_n

Foto retirada da Fan Page: https://www.facebook.com/KravMagaUberlandia [demonstração com Mestre Kobi]

 

Depois da palestra eu conheci a Lívia, uma garota de 18 anos que conheceu o Krav Maga há nove meses e começou praticar com a mãe. Ela disse que depois que começou treinar, sua concentração melhorou bastante e que agora não fica de bobeira na rua, tem uma visibilidade bem maior ao que acontece ao seu redor, além do fato de o seu preparo físico ter melhorado bastante e ela se sentir mais confiante.

Parece fazer maravilhas com o corpo e a mente, não é mesmo?

Descobri que o Krav Maga significa combate de contato e foi criado por Imi Lichtenfeld nos anos 40  e em 1990 foi trazido para o Brasil através do Mestre Kobi.

Desenvolvido em Israel, sua técnicas tem uma motivação muito legal que é auto defesa a partir da neutralização de ameaças. Uma fala muito legal que o Mestre Kobi frisou é que a técnica usada é a humanista e serve para criar seres humanos de bem e não animais violentos.

944580_180465062113203_1501501106_n

A academia que fui para fazer essa matéria é o primeiro e único Centro de Krav Maga de Uberlândia e região, com toda estrutura exclusiva para o treino desta defesa pessoal israelense! Filiados à Federação Sul Americana de Krav Maga, sob supervisão direta do Mestre Kobi Lichtenstein, discípulo direto do criador do Krav Maga, Imi Lichtenfeld.

® Krav Maga é uma marca registrada e só pode ser usada sob licença da Federação Sul Americana de Krav Maga (FSAKM).

Saiba mais:

https://www.facebook.com/KravMagaUberlandia

www.kravmaga.com.br

@lumanunesblog [jr_instagram id="3"]